Quem somos

Olá, somos a APS

A Associação de Pedagogia Social é formada por profissionais que acreditam no exercício da liberdade responsável contribuindo para um mundo sustentável. Nossa missão é promover a Saúde Social para que todas e todos envolvidos cresçam na sua humanidade. Por meio da humanidade em cada um de nós, faremos as travessias para as quais o século XXI nos convoca.

Conscientes das jornadas solitárias, em que consistem os caminhos de empreendedores sociais, concebemos a vida social como âmbito para a cura necessária nas relações e para a prática da Ecologia Social no Brasil. Por isso nos associamos: para o cultivo da Saúde Social, que se realiza na busca pela liberdade nas escolhas inerentes à convivência humana, a partir de uma autoeducação baseada na Ciência Espiritual Antroposófica.

A Associação de Pedagogia Social – APS mantém a Academia, um grupo de pesquisa prática para promover e experienciar a Formação Dinâmica de Juízo, metodologia baseada no doutorado de Lex Bos. Lex, consultor holandês, instituiu a Fundação Dialoog na Holanda, e desenvolveu no Brasil os Seminários da APS em parceria com sua mulher, Johanna Bos, professora waldorf, e um grupo de consultores e jovens brasileiros.

História

Fundada em 1993, a Associação de Pedagogia Social de Base Antroposófica ficou conhecida pela promoção dos chamados Seminários de Pedagogia Social.
Os Seminários da APS – sigla utilizada para Associação de Pedagogia Social – serviram como uma semente para o desenvolvimento do movimento antroposófico no país. Jovens dos anos 80 e 90, coordenados por Herwig Haetinger, professor Waldorf e consultor antroposófico, foram inspirados pelas palestras de Lex Bos para empreender na área cultural, administrativa e do terceiro setor, criando várias instituições de base antroposófica.


Publicações
Entre 1993 e 1997, Herwig Haetinger promoveu a tradução das obras de Lex Bos, com o lançamento do livro Os Doze Dragões. Nasciam as Publicações da APS com os boletins. Nos anos 2000 houve uma parceria entre a APS e a Editora Antroposófica para edição de Os doze dragões e Desafios para uma pedagogia social.
A coleção mais recente Vida Social contou também com apoio do Instituto Fonte com as obras Formação Dinâmica de Juízo – um caminho para a liberdade interior, Confiança, Doação, Gratidão e forças construtivas da vida social, as três de Lex Bos. Outra iniciativa na área editorial foi o lançamento dos Cadernos de Pedagogia Social.


Seminários de Pedagogia Social: onde tudo começou
Os Seminários começaram em 1979 e nasceram para a autoeducação a partir de Lex Bos e sua esposa, Johanna, que sonhavam com o futuro da Ciência Espiritual revelada pelo austríaco, Rudolf Steiner, conhecida como Antroposofia, no Brasil.
Os Seminários serviram como uma semente para o desenvolvimento do movimento antroposófico no país. Mais de 500 pessoas passaram por eles até 2020 e, a partir desta experiência, relatam terem encontrado um significado para a sua vida vinculado à sua responsabilidade social e atuação empreendedora. Jovens dos anos 80 e 90, coordenados por Herwig Haetinger, professor Waldorf e consultor antroposófico, foram inspirados pelas palestras de Lex Bos para empreender na área cultural, administrativa e do terceiro setor, criando várias instituições de base antroposófica.
Para entender o que são os seminários, vale ler a trama a que ele pertence, descrita no livro Ecologia Social – O ser Humano como ponte para uma nova realidade, publicado pela editora Quintaventura, em 2018, por Regina Barros Erismann.
Conforme apresenta Daniel Burkhard, no prefácio do livro de Regina, o Ecologia Social traz um panorama de como uma ideia ganhou formas e nomes em três áreas de atuação no Brasil. São elas: Empresas, Terceiro Setor e Acadêmico. Os Seminários surgem no capítulo 6 dedicado ao âmbito acadêmico.


Como são os Seminários da APS?
São práticas de construção e convivência social que trazem o conteúdo a ser refletido e desenvolvido para a aprendizagem dos participantes a partir do grupo, como foco no que vive no grupo presente. É um processo em imersão de oito dias e sete noites, onde se experimenta a dinâmica básica da vida social através de conteúdos, dinâmicas, atividades de arte como pintura, modelagem e atividades corporais como jogos, euritmia, dança e movimentos em geral.
Para um despertar do ser social, utiliza a Formação Dinâmica de Juízo. Esta metodologia, também desenvolvida por Lex Bos, é a base metodológica para elaboração dos acordos de convivência, para as decisões e para a percepção e entendimento individual da dinâmica social, eu e o outro, eu e o mundo. Ela possibilita unir o pensar e o agir com mais consciência e presença para o futuro com o qual queremos nos comprometer.
Ao longo de sua evolução, os seminários se diferenciaram entre Seminário de Introdução, de Desenvolvimento de Grupos, de Desenvolvimento Organizacional, de Desenvolvimento da Sociedade até
a última geração realizados nas instituições sociais criados para o perfil do grupo que se formava.
A Associação de Pedagogia Social (APS) nasceu nos anos 1990 por causa dos seminários. Um grupo de 17 pessoas tornou-se responsável em fomentar o impulso de Pedagogia Social, criando possibilidades para seres humanos trabalharem seu próprio desenvolvimento como seres sociais. Foram realizados mais de 70 seminários de introdução e aprofundamento. Entre eles estão as oito turmas
conduzidas por Maria de Fátima Helou e Raquel Calcina que levaram os Seminários para instituições sociais como Associação Comunitária Pequeno Príncipe, Associação Comunitária Monte Azul,
Escola Waldorf Jardim do Cajueiro e Parque Intervales, agregando uma pesquisa social em parceria com a instituição hospedeira, vindo a enriquecê-la.


A APS renova sua missão
A Pedagogia Social tornou-se uma necessidade do século XXI para todos os seres do planeta. O mundo em transição, potencializou as causas sociais pedindo atenção ao conceito de contemporaneidade no que tange à relação do passado e futuro, juntos, no presente.
É a partir deste contexto que a Associação de Pedagogia Social reconhece sua força histórica dos Seminários como semente do próprio movimento antroposófico do Brasil. Um movimento de jovens que empreendeu na área cultural, administrativa e do terceiro setor, criando as primeiras instituições de base antroposófica do país. No livro Ecologia Social, de uma das fundadoras da nossa entidade, fica claro o quanto a Pedagogia Social serviu de base para despertar o empreendedor antroposófico do Brasil.
Os Seminários vieram antes da Associação. E a associação nasceu por causa dos seminários. Soa complexo, lembra da questão do “ovo e galinha”, mas trata-se apenas do caminho de desenvolvimento das formas sociais. Um caminho que celebra 40 anos e permitiu o crescimento de indivíduos capazes de mobilizar comunidades para educar crianças e adolescentes. Formar médicos, aconselhadores e consultores. Tudo baseado numa Ciência Espiritual: a antroposofia.
Ela serviu de base para educar as relações, os processos e as perguntas desses indivíduos. Para iluminar as questões sociais sob um ponto de vista espiritual. Agora, que a autoeducação faz parte do cotidiano e a espiritualidade torna-se centro para ser cultivada entre aqueles que querem transformar a realidade, a Associação de Pedagogia Social renova sua missão

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo